GTM: entenda o que é a importância do Google Tag Manager

Nós da Criação .cc sempre instruímos nossos clientes e parceiros a usarem muito as ferramentas Google para potencializar os insights sobre seu site. Por isso construímos esse conteúdo para te ajudar a entender melhor sobre o Google Tag Manager.

O Google Tag Manager (GTM) é um instrumento importante para a gestão simplificada de websites. O serviço pode ser usado até mesmo por quem tem pouco conhecimento sobre código no WordPress. Assim, a solução pode agilizar o trabalho de quem está à frente de projetos digitais. Confira detalhes:

Continue e saiba mais!

O que é GTM?

Google Tag Manager é uma ferramenta de administração de códigos de acompanhamento e tags em sites e aplicativos móveis. A sua função é simplificar o processo, possibilitando a rápida atualização de elementos essenciais a projetos digitais.

A incorporação do código do GTM colabora para a implementação fácil e segura de configurações de medição e análise, por meio de uma interface intuitiva. 

O conjunto resultante de tags, acionadores, variáveis e configurações é denominado contêiner. A sua abordagem unificada oferece a possibilidade de substituição de todas as tags codificadas manualmente, proporcionando uma 24/11.

Assim, o GTM não é apenas uma ferramenta tecnológica; ele é uma peça que descomplica a gestão de tags de sites e apps. Desse modo, pessoas com os mais variados níveis de conhecimento sobre o assunto poderão realizar operações sem complicação, liberando tempo para outras atividades mais estratégicas.

Por que usar o Google Tag Manager?

Agora que você conhece o gerenciador de tags em detalhes, descubra a importância de usar o GTM em seus projetos digitais!

Simplificação operacional

A ferramenta permite que profissionais realizem atualizações e implementem códigos de acompanhamento de maneira rápida e descomplicada, como visto. Isso significa que não há a necessidade de intervenções diretas no código-fonte do projeto.

Então, a adoção do GTM reduz as complexidades associadas à manipulação de códigos, o que proporciona uma experiência operacional mais fácil. A interface do serviço simplifica o trabalho, eliminando barreiras técnicas que normalmente estariam presentes nessa função.

Outro ponto relevante é que a eficiência gerada pela simplificação economiza recursos do time e minimiza potenciais erros associados à manipulação manual do site ou aplicativo.

Flexibilidade de configuração

A versatilidade oferecida pelo Tag Manager permite uma personalização precisa das configurações de acompanhamento.

A sua capacidade de configurar tags específicas para eventos particulares possibilita uma compreensão mais profunda do comportamento do usuário. Os acionadores, por sua vez, podem ser ajustados com precisão, assegurando que as tags sejam disparadas nos momentos exatos desejados.

Essas variáveis podem ser utilizadas para o armazenamento de informações dinâmicas, adaptando-se às diferentes situações no ambiente digital. A adaptabilidade é essencial em cenários voláteis; logo, as equipes podem ajustar as suas estratégias segundo as demandas usando o serviço do Google.

A flexibilidade de configuração trata-se de uma conveniência técnica. Mas ela é, também, uma estratégia essencial para profissionais que buscam um entendimento mais rico e detalhado do comportamento do usuário online.

Gestão centralizada

Ainda considerando os motivos para o uso do GTM, podemos mencionar a centralização do gerenciamento das atividades do site ou aplicativo relacionadas a tags. O uso da ferramenta colabora para os negócios consolidarem o controle de tags, acionadores, variáveis e configurações em um único ponto, como visto. 

Dessa maneira, a principal vantagem da gestão centralizada é a substituição eficiente de diversas tags manualmente codificadas por um único contêiner. Isso simplifica a manutenção e elimina a necessidade de lidar diretamente com códigos dispersos em diferentes partes de um website ou app. 

A centralização oferece uma visão holística das configurações aos gestores, facilitando ajustes e atualizações de maneira coesa.

Além disso, a gestão promovida pelo GTM vai além da simplificação operacional. Ela proporciona um controle mais robusto sobre as estratégias de medição e análise, permitindo uma configuração mais precisa e consistente das tags. 

Portanto, vale ressaltar que a capacidade de gerenciamento de todas as configurações em um único local consegue economizar tempo e reduzir significativamente o risco de erros associados à manipulação manual de códigos. Então, a abordagem unificada é crucial em ambientes digitais complexos, onde a eficiência nas operações é essencial. 

Como saber se o site tem GTM?

Depois de entender os principais motivos para o uso do Google Tag Manager, você pode se perguntar: será que o site do meu negócio ou do meu projeto já tem o GTM? Para responder a essa pergunta, você pode seguir alguns passos simples. 

Primeiramente, acesse o código-fonte do endereço digital. Isso pode ser feito clicando com o botão direito em qualquer lugar da página e selecionando a opção “Inspecionar” ou “Exibir código-fonte”.

Nele, procure por trechos que incluam referências ao GTM, como a presença do script do GTM, que geralmente começa com <script> e contém uma ID específica do GTM. A busca pode ser facilitada utilizando as teclas de atalho Ctrl + F (Windows) ou Command + F (Mac) para abrir a função de pesquisa.

Outra maneira é a verificação direta na interface do GTM. Se você tiver acesso à conta do Google Tag Manager associada ao site/app, faça login e acesse a conta. Na plataforma, você verá uma lista de contêineres associados aos websites. Se o endereço estiver utilizando Tag Manager, ele será listado.

Esses métodos simples e diretos permitem que você confirme de forma rápida se um projeto implementou o Google Tag Manager. Mas, caso ainda tenha alguma dúvida sobre o processo, você pode entrar em contato com um dos desenvolvedores especialistas da Criação .cc.

Como integrar com o Tag Manager?

Se você descobriu que o website ainda não foi integrado ao GTM, ou trata-se de um projeto novo e você quer integrá-lo, confira estas etapas para a sua utilização:

  • faça a configuração inicial: instale Google Site Kit e acesse “Configurações”;
  • conecte o Tag Manager: em seguida, clique em “Conectar”;
  • configure o GTM: acesse a página e configure o contêiner;
  • acesse o Site Kit: retorne ao painel do site e confirme as mudanças;
  • configure tags no GTM: acesse o Tag Manager e crie nova tag;
  • publique as alterações: salve configurações e clique em “Enviar”.

Cada um desses passos está descrito e ilustrado detalhadamente na Base de Conhecimento da Criação .cc. Então, acesse nosso site e saiba agora como integrar com o Tag Manager.

O que você deve manter em mente sobre o GTM? 

Após todo esse conteúdo, separamos alguns conceitos relevantes para você fixar sobre o Google Tag Manager. O primeiro deles é: a simplicidade é a chave do GTM. Lembre-se: a ferramenta foi projetada para descomplicar a gestão de tags e tornar as operações acessíveis a diferentes níveis de conhecimento. 

Antes de implementar o Tag Manager, planeje suas tags de forma sólida, compreendendo claramente os dados necessários e os eventos acionadores. Em seguida, teste as implementações usando o modo de pré-visualização para garantir precisão. 

Além disso, mantenha uma documentação clara e organizada de suas atividades, facilitando colaborações e futuras atualizações. Por fim, revise as suas configurações regularmente a fim de garantir que elas estejam alinhadas com os objetivos em constante evolução do seu projeto. 

Esses princípios otimizam a eficiência e estratégia na administração de tags em seus projetos digitais. 

Para mais detalhes, você já sabe: consulte a documentação completa no Cria Help, a Base de Conhecimento da Criação. cc.

Facebook
Twitter
LinkedIn

Sobre o Autor

Deixe um comentário